Página principal

Pequeno Glossário de Música a abertura


Descargar 43.57 Kb.
Fecha de conversión18.07.2016
Tamaño43.57 Kb.
Pequeno Glossário de Música



A
Abertura- Em princípio, peça musical destinada a anteceder uma ópera, uma suíte ou uma sinfonia. A partir do século XIX ganhou personalidade de peça de concerto independente.

Adagietto- Andamento musical menos lento e severo que o adágio.

Adágio- Palavra italiana que indica um andamento musical vagaroso. Para determinar precisamente o andamento de seus adágios,alguns compositores juntam, a essa, outras nomenclaturas :

Adágio assai- muito lento.

Adágio di molto- extremamente lento.

Adágio sostenuto- ("lento sustentado") sempre lento.

Allegretto- Termo em italiano que indica andamento musical mais lento que o allegro.

Allegro- Palavra italiana que indica andamento rápido. Os compositores acrescentam-lhe outras indicações, como :

Allegro assai- muito rápido.

Allegro con brio- Rápido, com brilho.

Allegro con fuoco- Rápido, com ardor.

Molto Allegro -o mesmo que allegro assai.

Allegro giusto- Rápido e preciso.

Allegro Gracioso- Rápido, mais gracioso, delicado.

Allegro moderato, ma risoluto- moderadamente rápido, mas com resolução.

Andamento- Grau de lentidão ou de celeridade do trecho musical, indicado por nomenclaturas tradicionais, em língua italiana.

Andante- Termo italiano que indica andamento não muito lento, fluente e moderado. Os compositores acrescem-no de outras expressões, para melhor caracterizar sua intenção :

Andante catabile- moderado e cantante.

Andante maestoso- moderado, porém com majestade.

Andante ma no tropo- moderado, mas não em demasia.

Andantino- modernamente, utilizado no sentido de menos lento que o andante

Ária- Originalmente,canção para solista utilizada em oratórios e óperas.Os italianos desenvolveram vários tipos de árias, agregando-lhes definições específicas, como, ária buffa, ária cantabile, ária di chiesa, ária fugata, arietta, etc..

Armadura- Conjunto de acidentes colocados no início de uma partitura musical, ao lado da clave, indicando a tonalidade a que pertence a obra.

Atonalismo- Técnica de composição caracterizada por um centro tonal harmônico, pela eliminação da harmonia tradicional, bem como dos conceitos de consonância e dissonância . A estrutura tonal foi sendo progressivamente abandonada no século XIX pelo cromatismo de Wagner, Strauss e Mahler. No século XX, Schoenberg levou o cromatismo às suas últimas consequências, o que redundou na abolição da tonalidade e na criação do atonalismo, inaugurando, assim, uma nova fase da música ocidental.
B

Baixo contínuo- (ou contínuo)- termo usado na música européia dos séculos XVI a XVIII para designar o baixo que não se interrompia durante uma execução, mesmo que as outras vozes tivessem pausa. Em geral, era executado por uma viola, cravo. órgão , fagote ou alaúde.

Barcarola- Canção de barqueiros, cujo nome deriva de barcaruoli venezianas. Peça musical tranqüila, muito melódica, de ritmo ternário.

Bel canto- Estilo de canto próprio da ópera italiana do século XIX. Caracteriza-se pela ornamentação excessiva da melodia pelo cantor, a fim de aumentar o conteúdo emocional e exibir técnica e versatilidade.

Bemol- Acidente utilizado para abaixar a altura da nota em meio tom. Aparece ao lado da nota ou na armadura da clave.

Bequadro- Acidente utilizado para anular o efeito de um sustenido ou de um bemol, reconduzindo a nota a seu estado natural.

Bourrée- Antiga dança francesa, de andamento vivo e rápido.


C
Cadência- (do latim cadere,cair.)Fórmula melódica ou harmônica no fim de um período, de uma frase ou de uma composição, que produz a sensação de repouso momentâneo e final. Também define a ocasião em que, no fim de um trecho musical, o solista improvisa sobre temas apresentados antes, exibindo sua virtuosidade.

Câmara, Música de- Composição musical escrita para um pequeno grupo de instrumentos ou vozes. Em suas origens, era composta por um músico da casa para seu patrão, sendo executada em pequenas salas. As combinações instrumentais variam, embora raramente excedam um total de quinze instrumentos. Sua forma mais característica é o quarteto de cordas, desenvolvido sobretudo por Haydn e Mozart e que atingiu novas dimensões com Beethoven e os românticos .

Cantabile- Nomenclatura em italiano(=cantável) empregada em trechos musicais de andamento lento e melodia fácil. O termo, em geral, é usado na combinação andante cantabile.

Cantata- Em suas origens, peça musical que devia ser cantada (do italiano cantare), em oposição à tocata, para ser tocada. Primitivamente composta para compositor solista e acompanhamento instrumental, depois do século XVII foram-lhe acrescentados coral e orquestra, tendo sido nesta forma que chegou ao tempo de J.S. Bach, autor de 225 peças desse gênero.

Concerto- Forma musical escrita, geralmente, para um instrumento solista e uma orquestra de tamanho variado. O termo já aparece no século XVI, mas só no início do século XVIII, com os compositores barrocos, é que o concerto adquiriu sua estrutura tripartida, isto é, em três movimentos- um dos quais em forma sonata. A partir daí o gênero evoluiu muito, tendo Mozart e Beethoven introduzido algumas significativas modificações estruturais.

Concerto Grosso- Gênero precursor do concerto. Caracteriza-se pela oposição de duas massas sonoras : o concertino e o tutti, também conhecido como ripieno.

Consonância e Dissonância- Conceitos fundamentais para harmonia ocidental. São usados para indicar respectivamente, os efeitos agradável e desagradável causados ao ouvido humano por determinados intervalos. Mas é importante lembrar que as noções de “agradável” e “desagradável” estão muito relacionadas com o dado cultural, já que o nosso sistema tonal é acusticamente “desafinado” pelo temperamento(ver temperado, Sistema). A consonância sugere repouso, enquanto que a dissonância sugere movimento, na medida em que, na harmonia tradicional, o intervalo dissonante necessita de resolver-se em uma consonância. A classificação é subjetiva cabendo ao ouvido humano determinar se um intervalo é consonante ou dissonante. Para música de vanguarda do século XX inexiste esta oposição

Contraponto- (do latim contra punctus) Arte de combinar duas ou mais melodias que se desenvolvem, ao mesmo tempo, nas diversas partes ou vozes da partitura.

Courante- (Do francês courir, correr.) Dança francesa que surgiu no século XVI e que, mais tarde, fez parte da suíte barroca.

Cromatismo- Técnica de composição que tem como base a utilização de todos os semitons da escala cromática. Foi amplamente cultivada no século XIX, sobretudo por Richard Wagner. O cromatismo serviu de ponto de partida para o desenvolvimento da música atonal.(Ver atonalismo)
D
Divertimento- Expressão derivada do francês, divertissement. Gênero musical onde se agrupam várias peças instrumentais, à maneira da suíte.

Dominante- O quinto grau da escala diatônica, assim denominado por ser, depois da tônica, a segunda nota mais essencial da melodia. Ao contrário da tônica que representa repouso, a dominante tem um caráter dinâmico, de tensão e movimento, que na harmonia tradicional necessita resolver-se na tônica.

Drama Lírico- Expressão que alguns compositores aplicam a suas obras, em lugar do termo ópera.
F

Forte- termo em italiano utilizado pelos compositores a partir do século XVIII, para indicar maior intensidade do som. Em geral, empregam-se as abreviaturas F (forte), FF ou FFF (fortíssimo), ou, ainda, MF (mezzo forte= meioforte).

Frase- Parte de uma linha melódica que forma um todo, tanto do ponto de vista melódico como harmônico. Tem duração indeterminada, embora, no período clássico, geralmente ocupasse quatro compassos.

Fuga- Forma musical polifônica, na qual duas ou mais vozes se combinam no desenvolvimento de um tema conciso e de tonalidade claramente definida. Considerada a mais elaborada composição em contraponto, as vozes apresentam o tema em constante superposição e perseguição. Compõe-se de três seções : exposição, episódio e stretto. Surgiu na Itália quinhentista, atingindo seu apogeu com Bach, que, em sua Arte da Fuga, fixou os princípios do gênero.

Fugueta- Pequena fuga.
G

Gavota- (Do francês, gavotte .) Antiga dança francesa do ritmo binário (2/2), originária do país de Gap, cujos habitantes eram chamados de gavots.Tornou-se popular na corte de Luís XIV e m,antevê sua supremacia sobre outros gêneros até o advento da Revolução Francesa.

Giga- Dança ligeira de origem inglesa muito popular na Irlanda desde o século XVI. È também o nome de uma dança italiana de compasso binário, em voga nos séculos XVII e XVIII, que costumava encerrar a suíte ou o concerto de câmara. Introduzida na França, popularizou-se e difundiu-se por outros países da Europa, sendo utilizada por compositores como Bach e Handel.
H

Harmonia- Arte de combinar sons simultâneos, tendo como base a tonalidade e como princípio gerador a estrutura do acorde, vista como entidade global e não como uma simples superposição de intervalos. A harmonia diz respeito não só à obtenção dos acordes, mas também às leis (variáveis segundo a época) que regem seu encadeamento. Em termos visuais, opõe-se à melodia (desenvolvimento linear de sons no espaço e tempo) e respeita o aspecto espacial vertical do acorde, como resultado da execução simultânea de sons. As regras e padrões de harmonia, desenvolvidos nos quatrocentos anos precedentes, foram, em grande parte, colocados em xeque por diversos compositores do século XX.
I
Introdução- Em música sinfônica, trecho musical de uma composição maior, á maneira de apresentação. Em ópera tem o mesmo significado de prelúdio ou abertura.

Invenção- Peça musical em estilo contrapontístico, a duas ou três vozes. Foi ricamente explorada por Bach.
L
Larguetto- Palavra em italiano que indica andamento vagaroso, menos lento que o largo,embora tão grave e solene quanto este.

Largo- Termo em italiano que indica um movimento musical vagaroso. Deve ostentar grave e solene dignidade.

Lento- Termo em italiano que indica movimento musical vagaroso, entre o largo e o adágio.

Lento Assai- Expressão em italiano que indica andamento mais vagaroso que o lento.
M
Madrigal- Gênero musical, com base em texto poético, escrito para uma ou mais vozes. De caráter não religioso, remonta o século XII, mas seu apogeu se deu-se entre os séculos XV e XVI, em pleno período de polifonia, quando houve madrigais destinados a até cinqüenta vozes distintas.

Maestoso- Palavra italiana (= majestoso) associada às indicações de andamento, sugerindo ao intérprete que imprima um caráter grandioso á execução.

Magnificat- Uma das canções evangélicas da Igreja Católica Romana. Como gênero musical remonta ao século XV, tendo o sentido de "Canto da Virgem", entoado nas vésperas após os salmos.

Mesto- Expressão italiana que indica um andamento musical triste ou aflito.

Minueto- Antiga dança francesa em compasso 3/4, caracterizada pela delicadeza de movimentos. Introduzida na corte de Luís XIV por volta de 1650, difundiu-se rapidamente por toda a Europa. Haydn e Mozart incluíram essa forma na maioria de suas sonatas e sinfonias.

Moderato- Palavra italiana para indicar um andamento moderado, intermediário entre o andante e o allegro. Freqüentemente vem associada ao termo allegro, atenuando-lhe o valor.

Monodia- ( Do grego monos, um; ode, canto.) Peça musical para uma só voz.

Movimento- Em música a xpressão se refere a cada uma das partes destacadas em uma composição instrumental.
N
Noturno- Composição musical de caráter tranqüilo e meditativo, cujo desenvolvimento se deve ao inglês John Field. O gênero atingiu sua expressão máxima com Chopin e Fauré.
O
Oitava- Intervalo de sete graus, oitava nota da escala diatônica. De consonância perfeita, anota superior da oitava possui exatamente o dobro de número de vibrações da inferior, confundindo-se, portanto, facilmente com o uníssono.
Opus- Termo em latim que significa "obra". È usado na classificação de obras musicais. Aparece seguido de um número que designa, por ordem cronológica de publicação, as obras de um mesmo autor. Abreviatura : Op.

Ornamento- Adição de notas que introduz modificações na melodia, ritmo ou harmonia, e que tem por função o embelezamento da obra. Pode vir indicado na partitura ou a critério do intérprete. Entre os principais ornamentos incluem-se a acciacatura, apojatura, grupeto, mordente, trêmulo e trinado.

P
Pauta- Cinco linhas horizontais e paralelas sobre e entre as quais ficam dispostos os sinais da notação musical. Surgiu no século X e seu uso foi sistematizado por Guido D’Arezzo no século seguinte. É também chamada de pentagrama.

Pausa- Sinal gráfico colocado sobre a pauta para indicar a ausência ou a interrupção do som. Sua forma varia de acordo com o valor da figura que representa

Paixão- Cantata ou oratório em que são musicados textos dos evangelhos que descrevem a Paixão de Cristo. A partir do Cantochão, evoluiu para o drama musical medieval e para o motete renascentista. Atingiu sua expressão máxima em Johan Sebastian Bach.

Partita- Termo empregado por alguns compositores dos séculos XVII e XVIII para designar uma sequência de danças, à maneira da suíte.

Pavana- Antiga dança de caráter solene e grave, presumidamente de origem italiana, de Pádua.

Pentagrama- ver pauta.

Piano- Palavra italiana que serve para indicar uma execução suave, com pouca intensidade. É geralmente indicada pela abreviatura P, e também, PP ou PPP (pianíssimo).

Polifonia- ( Do grego polys, muito; phone, voz.) Expressão que, no Renascimento, se referia á música vocal. Mais tarde ingressou nas definições da música instrumental, significando a união de várias melodias- autônomas- sob as regras contrapontísticas.

Polirritimia- Uso simultâneo de ritmos diferentes numa mesma peça musical. Embora característica da música contemporânea, encontram-se exemplos célebres na música barroca e mesmo medieval.

Prelúdio- Introdução de uma obra musical, com o mesmo sentido de abertura,ou peça independente, de forma livre.

Prestíssimo- Nomenclatura em italiano. Indica andamento extremamente rápido.

Presto- Nomenclatura em italiano. Indica andamento apressado.
R
Rapsódia- Composição de estrutura indefinida, reunindo, em geral, vários temas de inspiração folclórica. Ficaram famosas as Rapsódias Húngaras de Liszt e a Rapsody in Blue, de Gershwin.

Recital- Apresentação pública de um ou dois intérpretes. Opõe-se ao concerto, termo utilizado para apresentação de um grupo de três ou mais. O termo foi empregado pela primeira vez por Liszt em 1840.

Recitativo- Parte declamaratória de um ópera, oratório ou cantata.

Ricercare- Composição instrumental, de forma livre e estilo contrapontístico, que floresceu nos séculos XVI e XVII. Assemelha-se á fantasia e ao capricho.

Rococó- Estilo que predominou nas artes visuais do século XVIII, caracterizado pela ornamentação excessiva(riqueza de detalhes), elegância e refinamento. Na música, o termo é empregado apenas por alguns poucos autores, que apontam elemsntos do rococó em em obras de Couperin, Telemann, D. Scarlatti, Bach, Haydn e Mozart.

Rondó- Forma musical normalmente utilizada para encerrar uma sonatapara piano.
S
Sarabanda- Dança de origem oriental difundida na Espanha a partir do século XVI. De caráter lento e solene,. Foi incluída na suíte barroca.

Scherzo- Palavra italiana que significa brincadeira. Gênero de música instrumental, de caráter vivo e alegre, que, em seus primórdios (início do século XIX) substitui o minueto, nas sinfonias, sonatas e quartetos.

Siciliana- Antiga dança característicamente pastoral. Bastante popular nos séculos XVII e XVIII, foi utilizada como movimento lento da sonata barroca.

Síncope- Distribuição irregular dos sons nos tempos do compasso. Produz uma sensação de uma falha rítmica, porque as notas principais se desencontram dos tempos fortes do compasso.

Sinfonia- A mais complexa forma de música para orquestra, com estrutura desenvolvida a partir da forma-sonata. Haydn e Mozart deram-lhe sua conformação clássica, com quatro movimentos: allegro, andante, minueto e rondó. Beethoven introduziu o scherzo como terceiro movimento e foi o primeiro a utilizar a voz humana numa sinfonia. Outros cultores do Gênero foram Schubert, Brahms, Dvórak e Sibelius, no século XIX, e Prokofiev, Stravinsky no século XX.

Sinfônica, Música- Toda e qualquer música composta para grande orquestra, como a sinfonia, o concerto, o poema sinfônico etc

Sonata- Forma musical constituída de tr~es seções: exposição, desenvolvimento e reexposição. A exposição é a parte que expõem os temas- em número de dois- sobre os quais se baseia o movimento. O primeiro tema geralmente é mais conciso e rítmico que o segundo, que tem caráter mais lírico. O desenvolvimento não possui uma forma pré-fixada; é livre e depende exclusivamente da fantasia do compositor. Quanto á tonalidade é modulante. A reesposição apresenta os mesmos elementos da exposição, seguindo a mesma ordem de temas. Em geral termina com uma coda, que pode- como ocorre freqüentemente em Betthoven- transformar-se num segundo desenvolvimento, utilizando elementos anteriores. A partir do Romantismo este esquema rígido foi sendo abolido. O termo sonata também designa uma obra musical para um ou dois instrumentos, composta em vários movimentos diferentes, um dos quais(ou mais de um) escrito na forma sonata. Mas a forma sonata também foi utilizada pelos compositores em sinfonias e concertos, na música de câmara (trios, quartetos e quintetos, etc) e até mesmo em óperas.

Sonatina- Sonata em pequenas proporções.

Suíte- (Do francês suíte, seqüência.) Peça constituída por um conjunto de danças, alternando-se as rápidas e as lentas. Como gênero musical, surgiu no século XVI. Modernamente, possui também o sentido de seleção orquestral de trechos de uma ópera ou bailado.

Sustenido- Acidente musical que eleva a nota a um meio tom.
T
Tema- Exposição de uma idéia numa composição musical.

Temperado, Sistema- Sistema introduzido na prática musical em princípios do século XVIII. Consiste numa ligeira alteração nos intervalos da escala natural utilizada pelos gregos, para produzir doze semitons exatamente iguais(temperados). Esse sistema deu origem à escala temperada-consagrada por Bach em seus dois volumes do Cravo BemTemperado- e permitiu o sistema de modulação e da própria arte musical.

Tempo- É a unidade de duração determinada para dividir simetricamente a frase musical. È um parte do compasso.

Tocata- Literalmente " peça para ser tocada". Nome mais antigo da música para instrumento de teclado, distinguindo-se da sonata (peça para ser executada com arco sobre cordas ou por intermédio de sopro) e da cantata (peça para ser cantada). È uma composição de forma livre, apropriada para demonstração de virtuosismo.

Tom maior- ver tonalidade.

Tom menor- ver tonalidade.

Tonalidade- Técnica de composição que se baseia num centro tonal harmônico. Sistema básico da música ocidental desde o século XVII até princípios do século XX, a tonalidade está centrada na tônica, que assume um papel polarizador-ponto de repouso de toda tensão da obra. A tonalidade pode ser maior (caracterizado por um intervalo de terça maior entre o primeiro e o terceiro grau) ou menor (presença da terça menor entre o primeiro e terceiro grau ), dependendo da escala sobre a qual é construída: se a tônica for a nota dó, a tonalidade se efetua no plano do dó maior ou menor. Os princípios da música tonal estão compreendidos nas noções de harmonia e contraponto.

Tônica- Primeiro grau de uma escala diatônica e que dá seu nome. Nota central e essencial, a tônica representa o pólo de repouso, em oposição à dominante, que é o pólo de tensão.

Trinado- Ornamento que, no fim do século XVII passou a ser empregado no final de uma cadência. Característico, sobretudo, da música do período barroco, consiste na articulação rápida e alternada de duas notas consecutivas.

Trio- Expressão utilizada musicalmente em dois sentidos : 1- peça instrumental ou vocal para três executantes; 2-parte contrastante central de peças musicais como o scherzo,o minueto e a marcha etc.

Tutti- Expressão italiana que indica o momento em que todos os elementos do coro ou da orquestra devem entrar em ação.
U
Uníssono- Execução simultânea de uma mesma nota ou melodia por um ou vários instrumentos ou por uma ou várias vozes. As notas podem estar numa mesma altura ou a uma distância de uma ou mais oitavas. O uníssono caracteriza o cantochão.
V
Variação- Metamorfose ou mudança parcial na forma de um tema musical.

Vivace- Termo italiano empregado pelos compositores, a partir da segunda metade do século XVII, para indicar um andamento animado.



La base de datos está protegida por derechos de autor ©espanito.com 2016
enviar mensaje