Página principal

Cursos provas


Descargar 42.31 Kb.
Fecha de conversión23.09.2016
Tamaño42.31 Kb.

CURSOS




PROVAS

Canto




  • Escrita

  • Oral

  • Prática










Composição e Regência




  • Escrita

  • Oral









Instrumento





  • Escrita

  • Oral

  • Prática










Música (Licenciatura)




  • Escrita

  • Oral

  • Prática

PROVA ESCRITA (para todos os cursos) –– (peso 4)



  1. Teoria Musical

Todo o programa de Teoria Elementar a seguir:

  • Pauta musical: função e tipos; linhas suplementares.

  • Claves: função, origem; destinação particular de cada uma das claves. Claves antigas.

  • Notas: origem dos seus nomes.

  • Figuras e pausas: valor proporcional e valor relativo. Figuras antigas.

  • Compassos: função, representação, classificação; unidade de tempo e unidade de compasso; tempos fortes e fracos; separação e marcação dos compassos.

  • Ponto de aumento, ligadura; contratempo, síncope e quiálteras; staccato e legato; fermata e suspensão; anacruse.

  • Sinais de alteração.

  • Tons e semitons.

  • Intervalos: denominação, classificação, inversão.

  • Escalas em geral. Graus da escala.

  • Modos litúrgicos.

  • Armaduras. Tonalidades; meios de conhecer o tom; tons vizinhos e afastados; tons homônimos. Enarmonia.

  • Vozes: classificação e extensão.

  • Ornamentos.

  • Andamentos; relação entre os diversos andamentos. Metrônomo.

  • Série harmônica.

  • Transposição. Modulação.

  • Acordes de três, quatro e cinco sons; denominação, classificação e inversões.

  • Sinais de abreviatura: repetição, salto, volta, de intensidade, de oitava.

  • Dinâmina e agógica.

  • Propriedades físicas do som: altura, intensidade, duração e timbre.

  • Noções de História da Música:

  • Os principais estilos e formas de música de tradição erudita européia e brasileira.

  • Compositores brasileiros e internacionais.

  • Música popular brasileira.


Referências bibliográficas

BENNETT, R. Uma breve história da música. Trad. Maria Teresa Resende Costa. 3 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1988.

______. Elementos básicos da música. Trad. Maria Teresa Resende Costa. 3 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1990.

GRAMANI, José Eduardo. Rítmica. São Paulo: Perspectiva, 1988.

LACERDA, Osvaldo. Teoria elementar da música. 5 ed. São Paulo: Ricordi, s/d.

LOVELOCK, William. História concisa da música. Trad. Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

MED, Bohumil. Solfejo. Brasília: Musimed, 1980.

______. Teoria da Música. 3 ed. Brasília: Musimed, 1980.

PRIOLLI, Maria Luísa de Mattos. Princípios básicos da música para a juventude. 3 ed. Rio de Janeiro: Iguassu, 1956. 2 v.

______. Harmonia: da concepção básica à expressão contemporânea. Rio de Janeiro: Casa Oliveira de Músicas, 1977 (v.1) e 1987 (v.2).

TINHORÃO, José Ramos. Pequena história da música popular. 6 ed. São Paulo: Art Editora, 1991.

TREIN, Paul. A linguagem musical. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1986.




  1. Ditado Musical

  • Ditado melódico em clave de sol e/ou em clave de fá.

  • Ditado a duas vozes em claves de sol e fá.

  • Ditado rítmico em compasso simples e/ou composto.

PROVA ORAL (para todos os cursos) –– (peso 5)

A prova constará de:


  • Solfejos nas claves de sol e fá.

  • Leitura rítmica.

  • Identificação auditiva de intervalos, acordes, arpejos e cadências (Perfeita e Plagal).

  • Repetição de ritmos e frases melódicas executados ao piano.

PROVA PRÁTICA DE COMPOSIÇÃO E REGÊNCIA –– (peso 7)



Habilitação em Composição. Os candidatos deverão apresentar obrigatoriamente as partituras das suas composições e executá-las ao vivo ou apresentá-las em CD. No caso de música eletrônica (composta através de computador), deverá ser apresentada em CD e acompanhada das correspondentes grafias musicais.
Leitura à primeira vista
 Uma leitura entoada (solfejo): O candidato deverá escolher um dos solfejos apresentados pela banca examinadora. Após examinar a partitura do solfejo escolhido, em silêncio e durante até um minuto, o candidato deverá executá-la. O solfejo será avaliado a partir dos seguintes critérios:

I) Melodia: correto solfejo da melodia, mantendo afinação, centro tonal estável, utilização do nome correto das notas;

II) Ritmo: correta realização dos ritmos, mantendo pulso básico e fluência.

 Leitura ao piano: O candidato receberá uma partitura da banca examinadora. Após examinar a partitura, em silêncio e durante até um minuto, o candidato deverá executá-la, respeitando os seguintes itens: andamento, dinâmica, execução rítmica correta, tonalidade, marcas de expressão e articulação.

 Leitura ao instrumento: O candidato receberá uma partitura da banca examinadora. Após examinar a partitura, em silêncio e durante até um minuto, o candidato deverá executá-la no seu instrumento principal (se o instrumento principal é o piano, o item 2b será dobrado), respeitando os seguintes itens: andamento, dinâmica, execução rítmica correta, tonalidade, marcas de expressão e articulação.

Habilitação em Regência.  O Candidato deverá ensaiar e reger uma da peças listadas a seguir.Será avaliada a capacidade do candidato de mostrar, em sua regência, a preparação musical da peça coral, atentando para a sua estrutura formal, fraseado, dinâmica, agógica e tratamento do texto. O candidato terá um pequeno coro para realizar o ensaio, que terá duração máxima de trinta minutos. A banca examinadora assistirá ao ensaio.

 Josquin des Pres, "El Grillo"

Pe. José Maurício Nunes Garcia, "Domine, tu mihi lavas pedes"

W. A. Mozart, "Ave Verum Corpus"

J. Brahms, "Rosmarin"

G. Holst, "In the bleak midwinter"

W. Byrd, "Ave Verum Corpus"

H. Villa Lobos, "Ave Maria”

O Candidato deverá executar peças de livre escolha no seu instrumento principal até o limite de 10 minutos.

Regência à primeira vista: o candidato deverá reger uma breve melodia fornecida pela banca examinadora, após examiná-la por até um minuto. A melodia será cantada pelo coral.


PROVA PRÁTICA PARA O CURSO DE LICENCIATURA –– (peso 7)

Na Prova Prática de Licenciatura o candidato deverá:

Apresentar uma peça em instrumento harmônico (piano, teclado ou violão). Disponibilizamos piano e teclado. O candidato deverá trazer seu próprio violão e, caso prefira também poderá trazer seu teclado. Ler à primeira vista, no instrumento harmônico escolhido, um trecho musical selecionado pela banca examinadora. Acompanhar uma canção (cantada por um membro da banca  examinadora) com harmonia básica em instrumento harmônico escolhido pelo candidato. Responder as questões da entrevista conduzida pela banca examinadora.

PROVA PRÁTICA DE CANTO –– (peso 7)

A prova consistirá na execução vocal de:


  • Árias de cantata, oratório e ópera (qualquer período histórico).

  • Canção brasileira.

  • Melodie (canção francesa).

  • Lied (canção alemã).

  • Canción (canção espanhola).

O candidato deverá executar uma peça de cada um dos cinco itens especificados acima.
PROVA PRÁTICA DE INSTRUMENTO –– (peso 7)

A prova consistirá na execução de exercícios musicais que evidenciem a proficiência técnica do candidato e na execução de peças da literatura musical específica de acordo com o programa de cada instrumento. Além disso, será exigido leitura a primeira vista de um trecho musical.


Programa específico dos instrumentos:

Violão

UM Estudo do período clássico (Sor, Carcassi ou Giuliani)

Uma peça de autor brasileiro

Uma peça de livre escolha


Percussão

Afinação e execução de uma pequena peça nos tímpanos

Rudimentos e leitura de uma pequena peça na caixa-clara

Uma peça simples para marimba (2 baquetas)

Execução na marimba de uma pequena peça de autor brasileiro
Piano

Escalas e arpejos maiores e menores

Um estudo a escolher entre os autores: Clementi, Chopin, Cramer, Czerny, Heller, Liszt, Moskowsky e Scriabin

Uma peça de Bach a escolher: Invenções a três vozes, Suites francesas ou inglesas

Um movimento de sonata ou concerto

Uma peça de autor brasileiro


Trompa

Uma peça de livre escolha

Uma peça do período clássico ou romântico

Um estudo para o instrumento (Koprash, Muller, Maxime-Alphonse, Dauprat, kling, entre outros)


Trompete

Escalas e arpejos maiores, em duas oitavas (pelo menos até a escala de sol na segunda linha a sol no primeiro espaço suplementar)

Um estudo técnico

Uma obra musical qualquer


Clarineta

Escalas e arpejos em tonalidades maiores e menores com até quatro bemóis ou sustenidos, em duas oitavas pelo menos

Uma peça ou um movimento de sonata ou de concerto do período Barroco, Clássico, Romântico ou do século XX

Um estudo técnico para o instrumento

Uma peça, ou um movimento dela, de compositor brasileiro
Trombone tenor

Estudo n.º 1 (MelodiousEtudes for trombone – JoannesRochut);

Peça de confronto - Solo de Concourspour trombone et piano – P.V.delaNux

Peça de livre escolha




Trombone baixo e tuba

Estudo n.º 1 (Método de trombone baixo, p.1 - Andante);

Uma peça de confronto- Suíte for Tuba (Don Haddad)

Uma peça de livre escolha



Flauta

Escalas e arpejos maiores e menores, em duas oitavas.

Escala cromática em 3 oitavas (dó grave ao dó agudo).

Um estudo melódico (Gariboldi, Andersen, Köhler, etc.) ou um Choro.

Uma obra musical de livre escolha

Oboé

Escalas e arpejos maiores em 2 oitavas (1 oitava para lá bemol e lá maior).

Escala cromática até mi bemol agudo.

Um estudo melódico (Barret, Brod, Ferling, etc.) ou um Choro

Uma obra musical de livre escolha
Fagote

Escalas e arpejos maiores em 2 oitavas

Escala cromática em toda extensão do instrumento

Um estudo melódico (Weissenborn, Gambaro, Milde, etc.) ou um Choro

Uma obra musical de livre escolha
Violino

Uma escala em modo maior em três oitavas e seus respectivos arpejos em três oitavas em (Flesch, Scale System 1926) ou (Flesch e Rostal, Das skalen system s.d.)

Estudo nº 3 de R. Kreutzer, na edição IMC , revisão de I. Galamian

Uma peça brasileira de livre escolha

Uma peça livre escolha
Bibiografia:

Flesch, Carl. Scale System.New York: Carl Fischer, 1926.


Flesch, Carl, e Max Rostal. Das skalen system. Berlin: Ries e Erler.
Kreutzer, Rodolphe. 42 studies. Edição: Ivan Galamian. New York: International music company.

Viola

Uma escala em modo maior em três oitavas e seus respectivos arpejos em três oitavas em (Flesch, Scale System 1926) ou (Flesch e Rostal, Das skalen system s.d.)

Estudo nº 3 de R. Kreutzer, na edição IMC , revisão de I. Galamian

Uma peça brasileira de livre escolha

Uma peça livre escolha

Bibiografia:

Flesch, Carl. Scale System.New York: Carl Fischer, 1926.
Flesch, Carl, e Max Rostal. Das skalen system. Berlin: Ries e Erler.
Kreutzer, Rodolphe. 42 studies. Edição: Ivan Galamian. New York: International music company.
Contrabaixo

IsaiaBillé: "NuovoMetodo per contrabasso".Volume III (Existe na biblioteca). Estudo n.13 (Pag.11) com relativa escala.Do mesmo volume: estudo de aperfeiçoamento n.6 (Pag.69) com relativa escala.

A escolha do candidato: execução de uma peça simples para contrabaixo e piano (pode-se procurar na biblioteca).
 

Violoncelo
J. Dotzauer, 113 Estudos, Volume I: Escolher 2 ( Dois) estudos entre os números:15,19,22,30,33,34

J. S. Bach: escolher um Prelúdio de uma das seis suítes para violoncelo solo, BWV 1007 a 1012 ou um movimento rápido de um concerto para violoncelo (livre escolha).



Observações:

1 - A banca examinadora se reserva o direito de ouvir apenas parte das obras executadas pelo candidato.



2 - A prova será realizada no instrumento indicado pelo candidato no questionário por ele entregue no período estabelecido no Calendário.
Critérios de avaliação (para todas as provas, no que couber)

  1. precisão, clareza e objetividade das respostas;

  2. precisão rítmica e métrica, afinação, sonoridade e respeito aos sinais de intensidade, agógica e andamento;

  3. musicalidade;

  4. conhecimento de épocas e estilos;

  5. técnica e interpretação instrumental e vocal;

  6. equilíbrio e fluência do discurso musical;

  7. propriedade dos gestos;

  8. liderança e capacidade organizativa;

  9. capacidade de improvisação.


Endereço para informações: Escola de Música, colegiados dos correspondentes cursos, Campus Universitário do Canela, tel.: 336-8184, e-mail: emus@ufba.br.


La base de datos está protegida por derechos de autor ©espanito.com 2016
enviar mensaje