Página principal

CaracterizaçÃo fenotípica preliminar de culturas isoladas de amostras clínicas de diarréias de leitões com até um dia de idade


Descargar 321.63 Kb.
Página9/9
Fecha de conversión23.09.2016
Tamaño321.63 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9

CARACTERIZAÇÃO PARCIAL DE LECTINAS DE BABESIA BOVIS

SAMUEL PEREIRA SIMONATO (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), PABLO COSTA MAGALHÃES (Não Bolsista/UFV), FERNANDA BARROS DOS SANTOS (Não Bolsista/UFV), DIOGO TAVARES MORETTI (Não Bolsista/UFV), RICHARD COSTA POLVEIRO (Não Bolsista/UFV), SERGIO OLIVEIRA DE PAULA (Co-orientador/UFV), LEANDRO LICURSI DE OLIVEIRA (Orientador/UFV)

Babesia bovis é um hematozoário que parasita eritrócitos bovinos, invadindo e replicando dentro das células, causando uma seria doença caracterizada por febre, anemia, hipotensão e, em casos mais graves pode levar o animal a óbito. Atualmente não encontramos disponíveis no mercado vacinas contra a babesiose, pois as que foram desenvolvidas ate agora são de alto custo de produção em massa, baixa imunidade protetora, dificuldades de estocagem e distribuição. Recentemente, tem se demonstrado que o ácido siálico possui um importante papel na invasão dos eritrócitos. O estudo em questão está investigando a presença de lectinas e seu potencial envolvimento no processo de invasão celular de B. bovis. A caracterização das lectinas pode facilitar a descoberta de vacinas e o desenvolvimento de novas drogas para inibir a invasão celular e/ou o desenvolvimento de Babesia spp. B. bovis são mantidos em cultura celular de eritrócitos bovinos. Antígenos totais de B. bovis (Bb-STAg) são obtidos pela sonicação e centrifugação a 10000g e depois são submetidos a cromatografia de afinidade em uma coluna de fetuína. O material ligado foi eluido com NaCl 1M e dialisado com água, o conteúdo de proteína foi estimado utilizando um kit BCA, em seguida esse material foi analisado por SDS-PAGE, coloração de carboidrato, focalização isoelétrica e imunoblotting. Gel 12% de SDS-PAGE foi feito para determinar o peso molecular da amostra. Realizamos a focalização isoelétrica para determinar o PI da proteína. Bb-STAg e a proteína purificada foram submetidas a um SDS-PAGE, transferidas para uma membrana de nitrocelulose. Em seguida a membrana foi bloqueada e incubada com eritrócitos. A atividade hemaglutinante foi medida com eritrócitos de coelho e carneiro. A fração de B. bovis que se ligou a coluna de fetuína contém proteínas que podem exercer um papel mediando o contato parasita-hospedeiro, sendo portanto um possível candidato vacinal.

()

UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA



DESENVOLVIMENTO DE PROTOCOLOS DE COLETA E CONGELAMENTO DE SÊMEN DE GATO DOMÉSTICO (FELIS CATUS) ADULTO

SIMONE SCARPIN DE SÁ (Bolsista PROBIC/FAPEMIG/UFV), TARCIZIO ANTONIO REGO DE PAULA (Orientador/UFV), TÁSSIA SELL FERREIRA (Não Bolsista/UFV), NATALIA PHILADELPHO AZEVEDO (Não Bolsista/UFV), DANIEL QUEIROZ FRANÇA (Bolsista PROBIC/FAPEMIG/UFV), AYISA RODRIGUES DE OLIVEIRA (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), THYARA DE DECO SOUZA (Não Bolsista/UFV), MOACIR CARRETTA JUNIOR (Não Bolsista/UFV)

O gato doméstico é um valioso modelo experimental para a conservação de espécies de felinos selvagens, e o conhecimento sobre a sua fisiologia reprodutiva é um pré-requisito fundamental para aplicar metodologias de pesquisa de forma a beneficiar espécies de felinos selvagens ameaçados. O presente experimento teve como objetivo avaliar a congelabilidade do sêmen de gatos domésticos adultos em meios com diferentes concentrações de crioprotetor (glicerol a 4, 6, e 8%) e duas diferentes curvas de resfriamento (–0,55ºC/min por 1 hora até 40C, com e sem 1 hora adicional de equilíbrio a 40C). Três gatos machos adultos foram submetidos a procedimentos para eletroejaculação os quais consistiram na aplicação de um máximo de 10 séries de 10 estímulos elétricos de 6 V. As amostras coletadas foram avaliadas quanto ao aspecto físico, volume, concentração e morfologia espermática além do vigor e da motilidade. As amostras foram envasadas em palhetas de 0,25 mL, e após os procedimentos experimentais foram congeladas em vapor de nitrogênio líquido a uma taxa de –5,8ºC/min. As amostras foram descongeladas em banho maria a 38ºC por 1 minuto e avaliadas quanto ao vigor e à motilidade, além dos teste de termorresistência e coloração supravital. O protocolo de coleta proposto mostrou-se eficiente em todos os animais. As amostras congeladas em 6% de glicerol apresentaram maiores índices espermáticos e as amostras processadas com 4 e 6% apresentaram índices espermáticos satisfatórios nos primeiros 30 minutos de descongelamento, sendo esse resultado melhorado quando empregado o tempo de equilíbrio de 1 hora. O teste de coloração supravital demonstrou que o meio com 6% de glicerol causou menores danos à viabilidade das membranas espermáticas após o descongelamento. Podemos concluir que o meio com 6% de glicerol com tempo de equilíbrio de 1 hora apresentou melhor efeito crioprotetor em relação aos outros meios testados neste experimento.

()

UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA



UTILIZAÇÃO DA TÉCNICA DE PCR COMO MÉTODO DIAGNÓSTICO DE NEOSPORA CANINUM

Sthefany Patareli (Não Bolsista/UNIVIÇOSA), JOAQUIN HERNAN PATARROYO SALCEDO (Orientador/UFV), Vitor Barbosa Fialho Martins (Não Bolsista/UNIVIÇOSA), KARLOS HENRIQUE MARTINS KALKS (Não Bolsista/UFV), ANA PAULA PECONICK (Não Bolsista/UFV)

Neospora caninum é um protozoário do filo Apicomplexa, família Sarcocystiidae, subfamília Toxoplasmatinae. O parasito infecta várias espécies animais e pode causar doença em várias delas. Evidências de infecções naturais foram descritas em roedores, gatos, pássaros, cães, cabras, ovelhas, coiotes, porcos, dentre outros. O diagnóstico exato desta doença é fundamental para a execução de medidas eficazes de controle. O objetivo deste trabalho foi utilizar a técnica da PCR (Polymerase Chain Reaction), como método de diagnóstico do protozoário. O experimento realizou-se no Laboratório de Biologia e Controle de Hematozoários e Vetores (LBCHV), BIOAGRO - UFV. Para isso, um par de primers, direto e reverso, flanqueadores de uma região de 154 pares de base foram desenhados a partir da seqüência de N. caninum linhagem NC-Bahia, depositada no GenBank™ (AY259043). Como controle positivo foi utilizado DNA extraído de cultura celular de N. caninum em célula VERO, como controle negativo, DNA extraído de cultivo somente de Célula VERO e como amostra, DNA extraído de cultivo de Toxoplasma gondii. A reação foi realizada com uma temperatura inicial de desnaturação de 94ºC por 1 minuto, seguido de 30 ciclos de 94ºC por 20 segundos; 58ºC por 45 segundos e 72ºC por 45 segundos para extensão das fitas pela Taq DNA polimerase. Ao final dos ciclos foi realizada uma extensão final de 7 minutos à 72ºC. Dos resultados obtidos, somente a amostra de Neospora apareceu positiva, confirmando a possibilidade da utilização da técnica como diagnóstico. Visto que este protozoário pertence à mesma família do toxoplasma e desta forma possui semelhança antigênica, a técnica da PCR demonstrou superior às técnicas com fundamentos sorológicos, excluindo a possibilidade de reação cruzada e resultados falsos-positivos. Pode se concluir então, que a técnica da PCR é um método eficiente no diagnóstico de Neospora canimum.

()

UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA



TAXA DE MATURAÇÃO NUCLEAR DE OVÓCITOS DE BOVINOS CULTIVADOS IN VITRO, APÓS EXPOSIÇÃO À DIFERENTES TEMPOS E CONCENTRAÇÕES VITRIFICANTES DE ETILENOGLICOL

VANESSA LOPES DIAS QUEIROZ (Bolsista FAPEMIG/UFV), GIANCARLO MAGALHÃES DOS SANTOS (Não Bolsista/UFV), RAFAEL JOSÉ OTERO ARROYO (Bolsista CAPES/UFV), EMÍLIO CÉSAR MARTINS PEREIRA (Não Bolsista/UFV), MARIANNE CAMARGOS DIAS (Bolsista CNPq/UFV), FLAVIO GUISELLI LOPES (Bolsista CAPES/UFV), JOSÉ ROGÉRIO MOURA DE ALMEIDA NETO (Não Bolsista/UFV), GUSTAVO GUERINO MACEDO (Bolsista CAPES/UFV), SANELY LOURENÇO DA COSTA (Bolsista CNPq/UFV), CLÉRIO SOARES MOULIN CARIAS (Não Bolsista/), EDUARDO PAULINO DA COSTA (Orientador/UFV)

A criopreservação com estocagem em nitrogênio líquido é desejável por razões comerciais, facilitando assim a preservação e o transporte do ovócito. O objetivo do trabalho foi avaliar a vitrificação de ovócitos imaturos de bovinos, utilizando diferentes tempos e concentrações de etilenoglicol (EG) no equilíbrio. Avaliou-se a influência de cada tratamento sobre a taxa de maturação dos ovócitos, após a exposição às soluções de equilíbrio e vitrificação. Foram testadas seis soluções de equilíbrio (SE), contendo 3, 8, 16, 20, 32 ou 40% de EG, três tempos de equilíbrio (TE), 1, 5 e 10 minutos, e uma solução de vitrificação (SV), contendo 40% de EG + 1,0 mol L­­-1 de sacarose. As SE e os TE foram combinados entre si, perfazendo 18 tratamentos mais o controle, o qual continha ovócitos maturados in vitro, logo após a aspiração. Foram utilizados 372 ovócitos imaturos. Os ovócitos selecionados foram mantidos imersos na SE por um determinado TE (1, 5 ou 10 minutos). Após o término do TE os ovócitos foram transferidos e mantidos na SV por um minuto. Posteriormente, foram reidratados gradativamente em soluções de sacarose. Após a reidratação, os ovócitos foram cultivados durante 24 horas e processados para a avaliação da taxa de maturação nuclear. Observou-se que a combinação SE com 8% de EG com TE de um minuto, proporcionou a maior taxa de metáfase II (86,7%), sendo semelhante (P>0,05) ao grupo testemunha (83,4%). Entretanto, nas combinações de SE com 32 e 40% de EG em TE de 1, 5, e 10 minutos não apresentaram maturação nuclear. Conclui-se que concentrações elevadas de EG (32 e 40%) associado a qualquer TE não favorecem o desenvolvimento ovocitário (apoio financeiro FAPEMIG).

()

UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA



ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS DO LEITE CRU COMERCIALIZADO INFORMALMENTE NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA-MG

VINÍCIUS AUGUSTO JULIATI (Bolsista CNPq/UFV), MARCELLO SEBE FERREIRA (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), ANDERSON KEIZO YAMAZI (Bolsista CNPq/UFV), MARIANE REZENDE DIAS (Não Bolsista/UFV), CAROLINA MILNER MERHI (Não Bolsista/UFV), LUIS AUGUSTO NERO (Orientador/UFV)

Em diversas regiões do Brasil é comum o comércio informal, sem fiscalização oficial, de alimentos de origem animal, como leite e derivados. Esse tipo de comércio não garante a integridade das características naturais desses produtos, e estão constantemente sujeitos a fraudes e adulterações. Em leite, esses problemas são rotineiramente detectados por uma série de análises físico-químicas, realizadas rotineiramente em seu controle de qualidade. Com o objetivo de avaliar as características físico-químicas do leite cru informal consumido no município de Viçosa, 45 amostras desse produto foram coletadas em diferentes bairros do município e submetidas às análises de densidade, acidez Dornic, porcentagem de gordura, índice crioscópico e pesquisa de fosfatase alcalina e peroxidase. Os resultados obtidos foram comparados com parâmetros físico-químicos oficiais de qualidade do leite cru. Em relação à densidade, 5 (11,1%) amostras apresentaram valores abaixo de 1,028 mg/mL; 6 (13,3%) apresentaram acidez acima de 18oDornic; 10 (22,2%) apresentaram teor de gordura inferior a 3% e 14 (31,1%) apresentam índice crioscópico acima de -0,530oH. Em relação às provas enzimáticas, todas amostras apresentaram resultado positivo para peroxidase e 3 (6,7%) resultado negativo para fosfatase alcalina. Considerando todos os resultados, 27 (60%) amostras apresentaram ao menos uma alteração físico-química. Os principais problemas detectados foram adição de água, acidez elevada devido à multiplicação de microrganismos e aquecimento do leite cru. Os resultados obtidos permitem concluir que o leite cru comercializado informalmente em Viçosa apresenta fraudes e outros tipos de alterações que comprometem a segurança de seus consumidores, e evidenciam a necessidade de fiscalização oficial desse produto.

()

UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA



CL50-96H DO ROUNDUP® PARA ASTYANAX BIMACULATUS MACHOS ADULTOS

VINICIUS DA SILVA DUARTE (Bolsista FUNARBIC/UFV), LAERCIO DOS ANJOS BENJAMIM (Orientador/UFV), PAULO BURLAMAQUI DA SILVA FILHO (Bolsista CAPES/UFV), ANN HONOR MOUNTEER (Co-orientador/UFV), MARCUS VINÍCIUS DE OLIVEIRA MACHADO (Bolsista FAPEMIG/UFV), MAYARA PEREIRA LOTÉRIO (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), VIVIAN ROCHA DE FREITAS (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), JOELMA CRESPO MORAES (Não Bolsista/UFV)

Agrotóxicos têm sido amplamente utilizados como uma das principais ferramentas para um bom programa de controle de plantas daninhas em culturas. Porém, o aumento na contaminação do solo por agrotóxicos em áreas de agricultura intensa tem despertado o interesse de pesquisas para a avaliação de indicadores biológicos, uma vez que o ambiente aquático é considerado o mais relevante compartimento receptor de tóxicos. O objetivo desse trabalho foi determinar a CL50-96h do Roundup para lambaris Astyanax bimaculatus machos adultos, como proposta de utilização da espécie como bioindicador. Assim, para essa determinação, foram adotadas três repetições contendo 5 peixes cada, sendo um grupo-controle, e cinco grupos contendo 3, 6, 12, 24 e 48 mg/L de Roundup® (MONSANTO).  CL50 é a concentração letal para 50% da população ao término de um período proposto para observação. O teste foi conduzido em sistema de água estático, de acordo com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. As verificações de mortalidade foram realizadas a cada seis horas, removendo-se os animais mortos. Para acompanhamento da temperatura, foi adicionado em igual recipiente, 1,5 L de água, e o valor médio foi de 21,4 ± 0,73 ºC (a toxicidade do Roundup® aumenta com a temperatura da água). A CL50 encontrada segundo o programa TOXCALC, por meio de determinação binomial, foi de 14,0 mg/L, reduzindo o intervalo de confiança por média móvel, gerando além do valor de teste, o intervalo de confiança de 9,3 a 22,6 mg/L, que permite 95% de reprodutibilidade (p<0,05). A mortalidade do grupo-controle foi inferior a 20%, estando dentro do limite máximo aceito pela legislação vigente. Assim, é importante a avaliação do efeito do Roundup® e de outros produtos formulados versus o glifosato puro, tendo em vista o grande número de marcas comerciais (mais de 90) encontrados no mercado mundial à base desse ingrediente ativo.

 

()
UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA



ASPECTOS ANATOMOHISTOPATOLÓGICOS DE PNEUMONIA EM SAGUI (CALLITHRIX SP.): RELATO DE CASO

VINÍCIUS HEROLD DORNELAS E SILVA (Não Bolsista/UFV), FILIPE TAVARES CARNEIRO (Bolsista PROBIC/FAPEMIG/UFV), AYISA RODRIGUES DE OLIVEIRA (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), ALEXANDRE DE OLIVEIRA TAVELA (Bolsista CAPES/UFV), MOACIR CARRETTA JUNIOR (Não Bolsista/UFV), ANA CAROLINA ORTEGAL ALMEIDA (Não Bolsista/UFV), NÍTSA ERCLIEWISKI FALCON RODRIGUES (Não Bolsista/UFV), LEANES CRUZ DA SILVA (Bolsista/UFV), TARCIZIO ANTONIO REGO DE PAULA (Orientador/UFV)

No Brasil existem seis espécies do gênero Callithrix que são constantemente visualizadas em ambientes com grande influência antrópica principalmente devido à destruição e ocupação de seu habitat. Os sagüis são animais territorialistas e adaptados a vida arbórea. Vivem em grupos e se alimentam de frutos, insetos, seiva, flores e pequenos vertebrados. Objetivou-se com este trabalho relatar os aspectos anatomohistopatológicos de pneumonia em um sagüi macho e jovem recebido pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres Universidade Federal de Viçosa (CETAS-UFV) no mês de março de 2009. Durante a necropsia do animal foi observado alto grau de caquexia, além da presença de crostas na região do esterno e na porção media do fêmur esquerdo. Na cavidade oral encontrou-se grande quantidade de secreção branca espumosa. A cavidade torácica apresentou congestão nos grandes vasos do aparelho respiratório, assim como o os pulmões, com presença de áreas hiperêmicas nas últimas costelas. Ao exame histopatológico confirmou-se a congestão nos pulmões, bem como se diagnosticou a existência de pneumonia supurativa. A pneumonia é uma inflamação aguda dos pulmões. Embora seja uma reação que ocorre nos alvéolos, outras estruturas de tecido conjuntivo também ficam distendidas com presença de liquido seroso. As causas das pneumonias são infecções ou químicos irritantes que causam uma inflamação limitante. Concluiu-se que a morte desse indivíduo foi decorrente da pneumonia, visto que este passou por situações que provocaram depressão imunológica, como estresse e frio intenso.(CAPES, FAPEMIG, CNPq)

 (IEF, Instituto Estadual de Florestas MG )

UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA



ALTERAÇÕES MACROSCÓPICAS ENCONTRADAS NO EXAME TANATOLÓGICO DE UM TAPETI (SYLVILAGUS BRASILIENSIS) VÍTIMA DE ATROPELAMENTO: RELATO DE CASO.

VINÍCIUS HEROLD DORNELAS E SILVA (Não Bolsista/UFV), AYISA RODRIGUES DE OLIVEIRA (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), FILIPE TAVARES CARNEIRO (Bolsista PROBIC/FAPEMIG/UFV), MOACIR CARRETTA JUNIOR (Não Bolsista/UFV), ALEXANDRE DE OLIVEIRA TAVELA (Bolsista CAPES/UFV), NÍTSA ERCLIEWISKI FALCON RODRIGUES (Não Bolsista/UFV), ANA CAROLINA ORTEGAL ALMEIDA (Não Bolsista/UFV), LEANES CRUZ DA SILVA (Bolsista/UFV), TARCIZIO ANTONIO REGO DE PAULA (Orientador/UFV)

Os tapetis (Sylvilagus brasiliensis) são lagomorfos pertencentes a família Leporidae, possuindo um par de incisivos superiores pequenos atrás dos grandes incisivos anteriores. Devido à grande degradação das áreas florestais um crescente número de mamíferos de pequeno porte é encontrado próximo a ambientes urbanos, a procura de alimento e abrigo. Além da destruição do habitat, os atropelamentos, a caça predatória e o comércio de peles e de animais constituem as principais ameaças para os animais silvestres. Esse trabalho objetivou relatar as alterações macroscópicas encontradas no exame tanatológico de um tapeti oriundo da Zona da Mata mineira. O tapeti macho e adulto foi atropelado em uma rodovia no município de Viçosa-MG e então encaminhado ao Centro de Triagem de Animais Silvestres da Universidade Federal de Viçosa (CETAS-UFV), onde recebeu tratamento emergencial. Optou-se pela eutanásia do animal após a constatação da gravidade dos seus ferimentos. À perinecrópsia observou-se fratura exposta cominutiva no terço distal de fêmur esquerdo, crepitação na região dorsal na altura de L5 e extensa área de exposição da derme. À necropsia, os pulmões, traquéia e cavidade oral mostraram-se hemorrágicos, com regiões enegrecidas ao longo dos lobos craniais e manchas esbranquiçadas em relevo nos lobos caudais. O fígado apresentou-se pálido e com pontos avermelhados difusos. Constatou-se fratura da vértebra lombar L5, com importante lesão da medula. Devido a grande possibilidade da perda das funções sensitivas e motoras dos membros pélvicos o animal se tornaria inapto para reintrodução. A determinação da causa da morte de animais silvestres é de grande importância na realização de ações para a conservação das espécies. O excesso de velocidade dos veículos, a falta de sinalização nas estradas orientando os motoristas sobre a presença de animais silvestres e de corredores alternativos para os animais são pontos fundamentais a serem considerados na a conservação do tapeti. (CAPES, CNPq, FAPEMIG)

 (IEF, Instituto Estadual de Florestas MG )

UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA



TÉCNICA DE ISOLAMENTO DE STREPTOCOCCUS DA PLACA DENTAL DE CÃES

VITOR DE OLIVEIRA SILVA (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), FÁBIO ALESSANDRO PIERI (Bolsista CAPES/UFV), RAPHAELA MANSUR JOSÉ (Não Bolsista/UFV), MARIA APARECIDA SCATAMBURLO MOREIRA (Orientador/UFV)

A doença periodontal, afecção de maior prevalência entre os cães com idade superior a quatro anos, acomete cerca de 85% dos mesmos. Sabe-se que a formação da placa dental em humanos inicia-se com cocos Gram positivos, com bactérias pertencentes ao gênero Streptococcus. Em cães a participação deste gênero na formação da placa ainda se encontra indefinida. O presente estudo teve como objetivo padronizar uma metodologia para o isolamento de Streptococcus da cavidade oral de cães jovens com idade inferior a dois anos, quando a placa está em formação, a partir da adaptação de duas técnicas existentes, e estabelecer o envolvimento deste microrganismo com a formação da placa nestes animais. A placa dental foi extraída de três cães com suabe e transferida para solução tampão com pérolas de vidros, e submetida à agitação. O inóculo puro e três diluições seriadas (10-1 a 10-3) foram semeados em ágar Mitis Salivarius sob microaerofilia. As colônias isoladas foram incubadas em caldo BHI por 24 horas. As culturas foram transferidas e incubadas por 24 horas em Ágar Sangue para análise da atividade hemolítica. Utilizou-se a coloração de Gram, para identificação quanto à forma, arranjo e característica tintorial. Foram obtidos 43 isolados cocos Gram positivos. Destes, (46,5%) apresentavam arranjo característicos de Streptococcus, (16,3%) não configuravam claramente o gênero, e (37,2%) apresentaram arranjos diferentes. O teste realizado em Ágar Sangue revelou que (30,2%) dos isolados eram β-hemolíticos, (32,6%) α-hemolíticos, (20,9%) δ-hemolíticos e (16,3%) não puderam ser determinados. Preliminarmente, conclui-se que a técnica empregada foi eficaz no isolamento de bactérias do gênero Streptococcus, viabilizando o emprego da técnica para isolamento das mesmas a partir da cavidade oral de cães. Adicionalmente, infere-se que o estudo mostra o envolvimento do gênero Streptococcus com a microbiota inicial da placa bacteriana dental.

(CNPq / CAPES )

UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA



AVALIAÇÃO MORFOFISIOLÓGICA DOS EFEITOS DO THIODAN® SOBRE AS BRÂNQUIAS DE TILÁPIAS NILÓTICAS (OREOCHROMIS NILOTICUS) JOVENS

VIVIAN ROCHA DE FREITAS (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), LAERCIO DOS ANJOS BENJAMIM (Orientador/UFV), MARLENE ISABEL VARGAS VILORIA (Co-orientador/UFV), LUZ NATÁLIA FRANCO MONTOYA (Co-orientador/), ANN HONOR MOUNTEER (Co-orientador/UFV), SERGIO LUIS PINTO DA MATTA (Co-orientador/UFV)

O ambiente aquático é considerado o mais relevante receptor de tóxicos usados em culturas agrícolas. Métodos que avaliem efeitos dos pesticidas em órgãos de peixes são bioindicadores úteis da poluição aquática. O presente estudo avaliou alterações provocadas pelo efeito agudo do inseticida organoclorado Thiodan® nas brânquias de tilápias nilóticas (Oreochromis niloticus). Para estabelecimento das doses experimentais de Thiodan®, determinou-se inicialmente a CL50. O valor encontrado foi de 2,622 g/L. O teste de toxicidade aguda utilizou três concentrações do Thiodan® (0,5; 1,0; 1,4g/L) e um grupo-controle. Cada concentração contou com quatro repetições com 10 peixes cada. De cada concentração foram utilizados 10 peixes. Os arcos branquiais foram fixados em Bouin, desidratados em álcool, incluídos em resina glicolmetacrilato, seccionados e corados com hematoxilina-eosina e azul de toluidina. A análise da água considerou pH, dureza, amônia total, amônia tóxica, oxigênio dissolvido, condutividade elétrica e nitrato, encontrando-se valores dentro dos parâmetros para piscicultura. Registrou-se comprimento total, comprimento-padrão e peso corporal dos animais, não sendo encontradas diferenças estatísticas entre grupos. A morfologia branquial do grupo-controle assemelha-se aos demais teleósteos. Os arcos branquiais são compostos por lamelas primárias, com duas fileiras perpendiculares de lamelas secundárias, formadas por dupla camada de células epiteliais, além de células pilares circundando canais capilares. No epitélio lamelar primário observam-se células pavimentosas, células de muco e células de cloreto. Observou-se diferença significativa no tratamento 0,5µg/L quanto à espessura do terço médio das lamelas primárias quando comparado ao grupo-controle. As células de muco foram mais freqüentes no grupo-controle. Observou-se aumento significativo das células de cloreto nos grupos de 1,0µg/L e 1,4µg/L em relação ao grupo-controle. Maiores percentuais de hemorragia e de aneurismas foram encontrados nos grupos de maiores doses. Aneurismas foram ausentes no grupo-controle. O presente estudo mostrou que o Thiodan® alterou a morfologia das brânquias proporcionalmente ao aumento das concentrações do tóxico.

()
UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA

DISTOCIA E RETENÇÃO PLACENTÁRIA EM UMA PÔNEI: RELATO DE CASO

YAME FABRES R. S. SILVA (Não Bolsista/UFV), BRUNNA PATRICIA ALMEIDA DA FONSECA (Orientador/UFV), LUIZ CARLOS FONTES BAPTISTA FILHO (Não Bolsista/UFV), DANIELA CALHELHAS GASPAR (Não Bolsista/), ATHINA CHAVES DONNER (Não Bolsista/UFV), CAMILA OLIVEIRA SILVEIRA (Não Bolsista/UFV), HANNA CAROLINA CAMPOS FERREIRA (Não Bolsista/UFV), RAILSON BRANDÃO DE ANDRADE (Não Bolsista/UFV), ROGÉRIO OLIVEIRA PINHO (Não Bolsista/UFV)

Distocia é a dificuldade que o feto encontra para ser expulso do útero, em decorrência de causas maternas, fetais ou mecânicas. Na égua as causas fetais são as mais observadas, quase sempre, devido a uma estática fetal anormal. Foi atendida no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Viçosa um pônei fêmea de seis anos, em trabalho de parto, iniciado na noite do dia anterior. O animal já havia tido uma gestação anterior, sem complicações. Realizou-se exame físico geral e posteriormente obstétrico na tentativa de constatar o estado da mãe e do produto. Dentre as alterações maternas encontradas, estavam: apatia, decúbito lateral, desidratação, mucosas hipercoradas, taquicardia e taquipnéia. Mediante palpação vaginal constatou-se morte do feto, que se encontrava em apresentação longitudinal anterior dorsossacra com os membros insinuados na pelve e retroflexão cefálica, caracterizando distocia. Após obter insucesso na tentativa de reposicinamento fetal, procedeu-se fetotomia parcial com posterior remoção da partes fetais, e restos placentários. Nos dias subsequentes observou-se que a pônei mantinha-se eliminando restos placentários. Instituiu-se tratamento com penicilina benzatina (30.000 UI.kg-1, intramuscular), uma vez ao dia, ocitocina (10 UI, intramuscular), duas vezes ao dia, e infusão uterina com solução fisiológica, uma vez ao dia. Como profilaxia a uma possível laminite, decorrente da placentite, admnistrou-se flunixina meglumina na dose anti-endotoxêmica, quatro vezes ao dia. O tratamento foi realizado até completa recuperação do animal. Quando a distocia é detectada, deve-se agir rapidamente, uma vez que pode gerar situações de grave risco para a mãe e para o produto. A fetotomia parcial é o procedimento de eleição quando há morte fetal, já que é de baixo custo, e, se realizado corretamente, é segura para a fêmea. Apesar desse procedimento, na maioria das vezes, não causar prejuízo à fertilidade da reprodutora, sua capacidade reprodutiva só poderá ser avaliada na próxima estação de monta.

()

UFV / XIX SIC / OUTUBRO DE 2009 / VETERINÁRIA



LEUCOENCEFALOMALÁCIA EQUINA NA REGIÃO DA ZONA DA MATA MINEIRA: RELATO DE DOIS CASOS

YAME FABRES R. S. SILVA (Não Bolsista/UFV), JOSE DANTAS RIBEIRO FILHO (Orientador/UFV)

A Leucoencefalomalácia Equina (LEME) é uma doença cosmopolita, aguda e fatal que afeta os equídeos de qualquer faixa etária, e é causada pela ingestão de milho ou subprodutos, contaminados com fumonisinas. Essas micotoxinas produzidas por fungos do gênero Fusarium (F. moniliforme e F. proliferatum) possuem ação sobre o Sistema Nervoso Central, desenvolvendo sinais neurológicos súbitos, em virtude de necrose de liquefação da substância branca, sobretudo, da região encefálica subcortical. Dois equinos da raça Mangalarga Marchador, um macho de cinco e uma fêmea de nove anos, pertencentes a municípios distintos da região da Zona da Mata mineira, foram atendidos no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Viçosa (HOVET-UFV), entre os meses de junho e agosto, com histórico de sintomatologia nervosa de aparecimento súbito. Ambos eram criados em sistema semi-intensivo e recebiam milho ou subproduto, como suplemento da dieta. Dentre os sinais clínicos relatados, estavam: anorexia, hiperexcitabilidade, ataxia, cegueira, andar em círculos e compressão da cabeça contra obstáculos. A evolução média dos casos, desde o aparecimento até o óbito, foi de dois dias. Observou-se, como achados comuns de necropsia, áreas encefálicas de hemorragias petequiais, e necrose e edema de um dos hemisférios cerebrais, caracterizados por amolecimento e coloração amarelada da substância branca. As lesões encontradas justificam os sinais clínicos, que conjuntamente com os dados epidemiológicos de consumo de milho, fecham o diagnóstico de LEME. As baixas temperaturas requeridas à produção de fumonisinas associadas à necessidade de suplementação de concentrados no inverno explicam o caráter sazonal da doença na região. Como profilaxia recomenda-se a correta secagem e armazenamento do milho e subprodutos, bem como o limite de fornecimento diário dos mesmos em até 20% da matéria seca.                  



 

 

()
1   2   3   4   5   6   7   8   9


La base de datos está protegida por derechos de autor ©espanito.com 2016
enviar mensaje